Porquê o blogue?

Foi em Coimbra que passei os anos mais despreocupados da minha vida. Aí estudei e fiz amizades, aí moldei uma quota-parte importante da minha personalidade, naqueles anos 50 e 60 tão intensamente vividos e revividos. Fiz parte de uma academia ímpar, participei dos seus ritos, das suas praxes, guardei um baú de recordações que me permite falar com algum à-vontade da Coimbra do meu tempo – a Coimbra de ontem.

Nunca nessa época fiz perguntas sobre o porquê do viver e das tradições daquela Academia. Mas mais tarde, já mais crescidinho, voltei à idade dos porquês e resolvi questionar-me a sério. Foi isso que me levou até à Coimbra de outros tempos – até à Coimbra de anteontem – à procura da raiz das coisas.

Entretanto, os tempos e os costumes sofreram uma aceleração tremenda. A cidade de hoje convive com a Universidade mas já não vive exclusivamente em função dela. A Coimbra de hoje procura um ponto de equilíbrio entre a cultura académica ancestral de que está impregnada e os novos tempos. Consegui-lo-á?

Porquê o blogue?
Porque o conhecimento do passado nos ajuda a compreender o presente e a perspectivar o futuro... se conseguirmos encontrar o fio condutor dos acontecimentos através das várias eras, claro está! É esse exercício que este blogue persegue.

Porquê "Penedo d@ Saudade"?
Porque o Penedo da Saudade é um lugar que convida à reflexão, enquanto olhamos em frente.
Porque quem se senta no Penedo da Saudade tem atrás de si a Coimbra de ontem e a de anteontem: a Alta, os Gerais, a Universidade do meu tempo, o campo da Sereia, a Praça da República…
Porque do Penedo da Saudade se pode observar o que se passa na nova Coimbra, na nova Universidade, no novo estádio… na Coimbra de hoje.
Porque quem deixou Coimbra e a capa e batina há mais de 40 anos não pode deixar de ter um poiso no domínio da Saudade.

Zé Veloso